31 dezembro 2013

31 dezembro 2013

Melhorando a autoestima

Foto por http://www.flickr.com/photos/aredead/
Dê play:


A primeira vez que eu ouvi essa música, eu tinha 14 anos. Eu tinha acabado de baixar o novo álbum das Pussycat Dolls (sdds!) e colocado pra tocar. Era uma das faixas bônus. Também foi nesse dia que uma amiga enviou umas fotos que tiramos juntas no shopping durante a estréia de High School Musical 3 (sdds part II!). E eu me achei gorda. Gorda mesmo. Ah, e feia! Nunca vou esquecer como me odiei aquele dia. Acho que nunca tinha sentido algo do tipo - nem por mim, nem por outra pessoa.

Eu não era gorda. Na verdade, não lembro direito e nem tenho como comprovar hoje; deletei todas as fotos no mesmo dia. Eu só estava naquela fase em que você não tem cintura, nem peito, seu cabelo é esquisito e suas pernas são desproporcionais ao resto do seu corpo. Sabe? Vendo a geração da minha irmã, talvez muitas meninas hoje não saibam direito o que quero dizer. Com 12 anos elas já estão melhores que eu aos 19.  Mas sei que uma parte das meninas vai entender exatamente o propósito do texto.

Voltando à música, eu estava ajoelhada no banheiro quando ela começou a tocar. Sentindo que precisava colocar pra fora qualquer que tivesse sido minha refeição naquele dia. Tentei três vezes. Não consegui. Voltei pro quarto e sentei na cama, chorando, quando prestei atenção na letra: "Dê uma olhada no espelho, você é linda. Tire um momento para amar quem você é. Aprenda a se aceitar, porque é verdade: você não poderá amar ninguém, até se amar."

Todos os clichês da vida estão nessa música. Mas sabe o que dizem sobre clichês? A maioria deles é verdade. Não voltei ao banheiro naquela noite, só deitei e tentei dormir. No dia seguinte, só pedi pra ninguém comentar sobre minhas fotos e minha amiga foi bacana o bastante pra tirá-las do Orkut (sdds part III!).

Passei semanas observando minha barriga ~gigante~ (!) no espelho e me pesando sempre que podia. Mal sabia eu que 3 anos depois meu corpo começaria a mudar naturalmente e eu até torceria pra engordar um pouquinho. Também perceberia que há coisas maiores nessa vida com as quais devemos nos preocupar e que quem nos ama, ama de qualquer forma. Bem, talvez não de qualquer forma: já tive amigos que se afastaram de mim porque diziam que eu me autodepreciava. Ou seja, o clichê de se amar pra receber e dar amor é mesmo verdadeiro.

Então vamos lá:

1) Você provavelmente não ama ninguém se não gosta de si mesma. Não discuta comigo, oras, é a regra! Se você acha que ama alguém, então provavelmente há algo em si que não mudaria. O que é? Quais são as coisas que você ama sobre si mesma? Não precisa ser uma característica externa. Você deve ter algum talento ou uma paixão que gostaria de aprimorar.

2) Quando nos sentimos pra baixo, costumamos aceitar migalhas. Uma "amiga" que, no fundo, você sabe que é meio cobra. Um cara que não tá nem aí pra você (alow, tô nessa fase ainda!). Não revidamos quando alguém fala algo que não gostamos. Não conseguimos dizer não. Queremos sempre fazer parte de algo legal e fazemos qualquer coisa por isso. Comece a dizer não. Uma coisa que eu aprendi só no finzinho do último ano de escola, é que é melhor estar sozinha do que mal acompanhada (outra verdade que parece ser só da boca pra fora). Me envolvi com pessoas que não acrescentaram nada na minha vida e sumiram depois de 1 mês sem contato comigo. Dos tempos de escola, só mantive contato com 1, UM, O N E, amigo! E eu (pensava que) tinha vários. Fiz coisas pra parecer legal que quem eu sou hoje repudiaria. E nada de "ah, vivendo e aprendendo, né?". Certas lições você pode viver sem e passar bem.

3) Ocupe seu tempo. Fazendo isso, você não vai ter muito tempo sozinha (como eu tinha) pra pensar besteiras. Aprenda uma nova língua, descubra uma biblioteca legal no seu bairro, customize suas roupas. Eu gosto de arrumar as gavetas quando não tenho o que fazer. Sempre entulho mil papéis no fundo delas e vou tirando um por um, relendo, guardando de novo. Depois varro o quarto. Dobro minhas roupas. Passo algumas. Mas geralmente estou bastante ocupada com o blog, trabalho e estudos. Aliás, já pensou em criar um blog? Talvez um Tumblr? Você pode usar como diário e descrever seu dia - não precisa divulgar pra ninguém. Faça algo por você!

4) A pessoa que você mais admira no mundo tem defeitos e ainda assim é a pessoa que você mais admira no mundo. Isso acontece porque ela não deixa a sua fraqueza transparecer e sim sua força. Já pensou em pegar um caderno e anotar pelo menos uma coisa legal que acontecer no seu dia? Pode ser uma moeda que você encontrou na rua, uma roupa que você comprou, um show que você viu ou uma pessoa legal que você conheceu. No fim do mês, releia e veja quantas coisas boas já passaram. Você não acha que poderia ter dado mais valor à elas que às ruins? Até porque, elas também já passaram.

5) O que você quer fazer no futuro? Como você vai fazer pra alcançar esse objetivo? Estipule pequenas metas e vá aumentando com o tempo. No ensino médio fizemos um trabalho assim. Tínhamos que imaginar como seria a vida dentro de 3 anos. Se no próximo eu quisesse entrar numa escola técnica, por exemplo, teria que descrever como faria isso. Estudando uma hora por dia? Iria assistir aulas experimentais vez ou outra pra ver com o que mais me identificaria? Faça isso e vá ticando cada item que completar. O gostinho de cumprir uma lista de tarefas é delicioso.

Já contei em vários posts que tive uma adolescência bem difícil. Depois que a fase de me achar feia e gorda passou, entrei em depressão por outros motivos, mudei muito e também amadureci muito em um ano. Quando entrei em depressão, passei a não me importar com nada e nem ninguém e apesar de isso ser bem triste, também me ajudou a ver que você não precisa se importar com o que as pessoas pensam de você. Me ajudou a ver, também, que quem quer te ver bem vai ficar ao seu lado. Ou simplesmente te dar o espaço e tempo que você precisa pra se recuperar e depois te receber de braços abertos, não importa o quanto demore. Essas experiências mudaram minha vida, porque senti que podia começar a ser eu mesma, sem medo de não ser aceita, de não ser legal, de ser uma esquisita.

Pra falar a verdade, eu acho que gostava de ser esquisita. Tem coisa mais legal que ouvir alguém que você detesta falando "aquela menina é uma esquisita" justamente por você não ser como eles? Pra mim é elogio! :-P

Eu espero que em 2014 vocês consigam se amar muito e dar muito amor a quem merece. Dedico esse post a todas as meninas lindas do grupo do blog Depois dos Quinze e a qualquer pessoa que não se aceite 100%. Tá, acho que 100% é meio difícil. Preciso confessar que há coisas nessa minha vidinha que eu mudaria, mas não me abalo com elas: crio coragem e vou atrás das mudanças. Que 2014 seja um ano de muitas mudanças boas pra todos nós!

Obrigada por um ano maravilhoso, que me fez amar ainda mais a vida!



16 comentários:

Thays Heytor em 31/12/13 disse...

Preciso confessar que seu post me encantou!
Acho a questão de auto estima o ponto inicial que é capaz de te fazer ser alguém na vida e a falta dela pode nos reduzir a nada (exatamente como pensamos) esta questão nos dias de hoje,com esta super exposição de modelos e mulheres e homéns sarados nos leva a pensar que só é feliz,realizado,aceito e de sucesso se vc for magra,se for linda e se vc for perfeita!
é cruel ser mulher/homem normal na atual sociedade,começa na adolescencia e se não abrirmos os olhos a auto estima baixa nos afeta para o resto da vida.Que bom que sempre podemos ler textos otimistas assim e lutarmos por nós mesmas!
http://caprichoebeleza.blogspot.com.br/

Camila em 31/12/13 disse...

Arrasou, simplesmente!
Tanta coisa passamos para ser 'aceito'.. tudo besteira!
Tenha um ano maravilhoso e fazendo esse blog cada vez melhor :)

Mayara em 31/12/13 disse...

@Camila Pois é, Cami. Algumas meninas vão muito longe e isso me dá um aperto :(

Um ótimo ano pra você e muito obrigada!

Victoria Lam em 31/12/13 disse...

Mayara, cada vez mais vejo porquê me identifico mais com seu blog <3 Você tem que parar de ser igual a mim... haha No fundo somos todas um pouco (ou muito) iguais. Já passei por essa fase de ser gorda, e sou, não me incomoda tanto, só na hora de comprar roupa... Mas, tirando isso, sou feliz! Feliz Ano Novo, e nós vemos mais um pouco ano que vem!
Beijos, Vic. (Coisas da Vic)

Mayara em 31/12/13 disse...

@Victoria Lam Que delícia ler isso, Vic <333 Eu hoje me aceito muito mais (nem só na questão de aparência), mas ainda tenho um longo caminho ^_^
Que 2014 seja um bom ano pra todas nós!

Isa. ∞ em 31/12/13 disse...

Mayara, não sei nem o que dizer do texto. O jeito que você escreveu é de uma forma que faz parar para refletir sobre o que tem feito, e ao mesmo tempo parece um texto de confissão sua, parece uma conversa de amigas. Fechou bem o ano e de todos os seus textos que eu já li, esse foi o melhor. Parabéns pelo texto! Sério!
Beijos e que 2014 seja um ano melhor do que 2013, que seja um ano de mudanças, como você disse e de aprendizado. Que nós, seres humanos, aprendam a se aceitar como são.

Mayara em 31/12/13 disse...

@Isa. ∞ Muito obrigada, Isa, de verdade <3 Realmente, é uma confissão e um dos posts mais pessoais aqui do blog. Eu tava sentindo falta de escrever assim, sem medo. Feliz ano novo pra você <3

Ana Luiza Palhares em 31/12/13 disse...

Amei demais seu texto Mayara! Eu sempre tive dificuldades de me aceitar com meu peso e por isso vivia sozinha. Em 2010 passei por um momento muito ruim, cheio de perdas e dificuldades, e isso me fez sentir ainda pior. Fui tentando mudar minha auto estima em 2011 e me aceitar do jeito que eu era. Hoje estou entrando na faculdade que sempre sonhei, estou namorando o cara mais legal do mundo, ando cercada de amigos super bacanas e verdadeiros. Acho que quando estamos mal, nós mesmos colocamos barreiras e negatividade onde nem tem. É só mudar o pensamento e ser você mesma. Amei demais seu texto, super inspirador e teria me ajudado muito em 2010, hahaha. Espero que ajude muitas meninas <3

www.cindereladementira.com.br

Alexia Cavalcante em 31/12/13 disse...

Amei as dicas.
Minha auto estima é igual o vento, vai e vem, mas aí eu penso em todas as coisas boas que eu fiz.

Feliz 2014, que esse ano seja repleto de felicidade e esperança!
http://www.papodemeninasaer.com/

Yasmin Araújo em 31/12/13 disse...

Aiin Choreei :'(

Priscila Pereira em 31/12/13 disse...

Amei o eu texto, de verdade, ano que vem, vou começar a me importo só com quem me faz bem, como eu já disse em um texto, estou cansada de entregar a alma e receber farelos, beijos, continue assim, virei sua fã <3

Mayara em 31/12/13 disse...

@Ana Luiza Palhares 2010 tb foi um ano terrível pra mim, precisava ter lido palavras positivas e depoimentos de superação, sabe? Espero mesmo poder ajudar ♥

Mayara em 31/12/13 disse...

@Priscila Pereira Obrigada, Pri!! Também quero dar mais valor a quem me ama com a mesma intensidade! Feliz ano novo ♥

Daniela Pereira em 1/1/14 disse...

Oi May! Desculpa pelo sumiço, porém tô aqui de volta! <3
Enfim, esse texto me AJUDOU demais. Confesso que sofro um pouco de autoestima, já melhorei MUITO, mas ainda tenho meus desgostos ): Enfim, esse texto me ajudou (e MUITO, acredite) a me enxergar melhor. Obrigada May, você e suas palavras sempre me fazem melhorar um pouquinho mais <3

Gabriel Santos em 2/1/14 disse...

Sou menino e me identifiquei muuuito com o seu texto. Estou nessa fase também, entrei em depressão já, perdi meu pai, já me auto multilei entre outras coisas. Adorei essas suas dicas, criei um blog e tem mais ou menos um ano, porém como não tenho muitos estímulos acabei deixando um pouco de lado, pelo fato de medo de alguém descobrir e me criticar por eu ser um menino e ter um blog, medo de pessoas do colégio descobrirem e tal, além do que ninguém está nem aí para as minhas lamentações em alguns posts, mas vou tentar seguir os seus passos, por mais que eu ache que a morte seria o passo mais indicado pra mim, no momento. Você acha que é realmente um problema eu ser um menino e ter um blog? Também me acho feio, sou magrelo e totalmente fora do estilo dos garotos que eu vejo por aí, não tenho amigos, somente colegas, acho isso muito ruim. Este é o meu blog http://tonaaborrescencia.blogspot.com.br/ espero muuuito que vc me responda, pfvr ! :(

Mayara em 2/1/14 disse...

@Gabriel Santos Às vezes esqueço que meninos leem o blog e também têm problemas de autoestima. Acho super normal você ter blog, conheço vários caras que têm e falam sobre assuntos que interessam a mesma faixa etária e público. O legal dos blogs é justamente isso: ter um espaço seu pra falar com pessoas que vão se identificar. A gente nunca tá totalmente sozinho, aprendi isso depois que criei blogs e redes sociais. Vou visitar o seu e ó: prometa que em 2014 vamos melhorar, tá? ♥

Postar um comentário

 

Design e programação por Mayara Sousa.