22 janeiro 2014

22 janeiro 2014

Tóxico

Foto por http://www.flickr.com/photos/40240838@N04/
Foram exatamente 25 dias. Eu contei. Na verdade, a partir do momento em que eu volto pra casa, eu começo a contar o tempo que passamos afastados. Sinto sua falta a cada segundo e não consigo lembrar de um dia sequer, em três anos, que não tenha pensado em você. Olha, eu não me importo se não pensou em mim. Esse sorriso e os abraços apertados são o bastante. Ninguém nunca fica tão feliz ao me ver quanto você. O que poder ser muito bom ou muito ruim. Se tudo o que você faz é assim, falso, como dizem, eu provavelmente não tenho ninguém que goste de mim pra valer nessa vidinha.

Ah, mas esqueça todos eles! Esqueça que você tem compromissos amanhã cedo, esqueça o cara do bar que tentou te colocar pra baixo quando começou a me cantar, esqueça esses nossos amigos em comum, que gostam de nós, mas não de nós juntos. Acho que andam julgando muito pelo passado e por aparências. Eu nunca fui disso. Pouco me importa o que veio antes, pouco me importa o quanto você vai engordar vivendo comigo. Penso assim porque imagino que seria terrível estar com alguém que discutisse pelo que fiz 2 anos atrás ou pela calça 38 não servir semana que vem. Quando digo que você é maravilhoso, é dos duetos estúpidos que eu falo. Da forma como você me abraçou quando eu comecei a chorar alguns dias depois do seu aniversário. Da certeza que você tem ao dizer que "esse ano vai ser ainda melhor". Eu digo que você é maravilhoso todas as vezes que lembro que quatro anos atrás eu achava que não estaria mais aqui antes mesmo de completar 18. Ó: tô fazendo 20.

Eu nunca disse que te amo e sei que apesar de atitudes demonstrarem muito mais, gostaria de ter dito alguma vez. Mesmo bêbada ou dopada. Gostaria de ter dito que te amava no dia que você disse que a vida não era justa ou quando disse que era uma pessoa ruim. Às vezes, acho que você precisa ouvir isso mais do que eu, com toda a minha necessidade de atenção e carinho. Enrolo por medo e depois me arrependo, mas eu sou cheia dessas. Ainda troco "amo" por "odeio", que é pra não dar muito na cara que sou sua por inteiro. Mas acho que quando liga pra falar que quer me ver e eu topo antes mesmo de você terminar a frase, percebe que me tem. Me tem e parece que tenta guardar a sete chaves. Me faz de brinquedo e depois deixa na estante, pra quando quiser brincar de novo, mas só você toca. Se alguém encostar um dedo é capaz de virar fera. Já notei. É um pouco doentio, se eu fosse você faria terapia... Mas, ah, esse nosso estoque de cerveja gelada e a cama quente custam bem menos que 50 minutos num consultório.

Eu também deveria fazer algum tipo de tratamento. Somos as pessoas mais disfuncionais que já conheci. Eu porque te aceito como é e você, bem... por ser como é. Me pergunto se pensa a mesma coisa quando te ligo tarde da noite pra dizer que te odeio e que te conhecer foi a pior coisa que me aconteceu. Quando eu surto, faço isso, não faço? Nos últimos dias tenho estado calminha, mas é que o serviço não me deixa perder tempo com besteira. A verdade é que eu tenho amadurecido sem nem perceber, mas talvez você já tenha sentido que estou diferente. Quando me analiso, também sinto. Aprendi muitas coisas desde que te conheci, mas a maioria aprendi sozinha. Solidão ensina mais que escola, dá mais conselho que amigo, apóia mais que amor. Ela é o que resta quando tudo foge.

E eu sei que falo dos nossos momentos bons como se fossemos felizes o tempo todo, mas sabemos que não é verdade. Passamos por tantos apertos e maus momentos, que mesmo estando com você muitas vezes me sinto sozinha. Mas sabe essa coisa da solidão estar sempre ao nosso lado? Acho que é por isso que me agarro tanto a você. Mesmo quando sinto que não há mais nada ao meu redor, você é minha solidão. Amarga, mas reconfortante. Independente do que acontecer, coisas boas ou ruins, vai estar ali. Pra sempre.



2 comentários:

Sarah Helena Vargas em 23/1/14 disse...

Olá !
Meu Deus que texto lindo ! Faz parecer que a solidão é boa afinal... e as vezes acho que é...
nossa adorei seu texto <3
bjkasss
http://dicasdeadolescentepraadolescente.blogspot.com.br/

Marília Dantas em 23/1/14 disse...

Oi, obrigado por visitar meu blog. Que texto maravilhoso, realmente um pouco de solidão as vezes é ótimo para colocar certas coisas no lugar. Seu texto me pareceu muito sincero e adoro textos assim. Muito sucesso com seu blog ele é incrivelmente lindo. Um grande beijo.

http://oficialmeusdocesversos.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 

Design e programação por Mayara Sousa.